A verdadeira criatividade está no nosso mundo interior, não nas coisas em si, mas no que elas representam para nós!

.posts recentes

. Esquecer...

. ...

. Osmose de Fantasmas...

. Vagas Palavras - Mistério...

. Catalisa-me...

. Vagas palavras - Pesco o ...

. És realidade...

. Olhar para Trás...

. Carência...

. Devo Amar-te?

.arquivos

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

Frio...

Mais tarde ou mais cedo, sabia que ia acontecer!

Estar contigo como uma pedra de gelo...

Obrigaste-me a isso.

Inconcientemente fizeste com que o meu coração ficasse tão frio de ausência de carinho, tão sozinho de caricias tuas, tão... vazio de ti.

Ensinaste-me a estar contigo como um ser frio, como se fosse obrigado a olhar para ti com sentimentos banais, como se o nosso passado nao tivesse existido.

Como bom aluno que tento ser, usarei para sempre as "cábulas" onde resumi tudo aquilo a que me tens ensinado.

Agora espero que um dia não peças para te amar novamente.

Espero que não me peças para chumbar no exame, que mais tarde me possas vir a fazer!

 

Lágrima Doce*

sinto-me: coração de gelo
música: because of you - Neyo
publicado por CMS às 22:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 14 de Junho de 2007

Vagas Palavras - O Milho e a Pipoca

Há alturas na vida em que não percebemos muito bem porque razão estamos a passar por uma situação de fogo, de grande dificuldade e sofrimento. Seja pela perda de alguém que nos é querido, ou por ficar sem o emprego, ou mesmo por uma questão de saúde, há alturas da vida em que olhamos para cima e perguntamos porquê?! Porquê comigo?!
Como se a vida fosse feita só de coisas boas, nunca estamos verdadeiramente preparados para as grandes provas de fogo que sempre acontecem.
A principal diferença entre o milho e a pipoca é que o primeiro nunca passou pelo fogo. Dentro da sua dura carapaça, o milho sente-se protegido, até que, um dia, o fogo faz despoletar nele algo que nunca imaginou que fosse possível aconte­cer, dando origem a uma coisa completamente diferente: a pipoca.
Se olharmos para o exemplo da pipoca vemos o lado positivo que a vida sempre tem. Lembramo-nos que um momento de grande sofrimento pode sempre originar uma melhoria em nós!
 
P.S - Também há sempre aquele milho que não rebenta, mesmo depois de exposto ao fogo, mas esses são os que vão viver eternamente na sua casca dura, com medo e estanques às grandes transformações que a vida nos proporciona!
 
Lágrima Doce*
sinto-me: Com vontade de mudar
música: I wana fuck you
publicado por CMS às 22:45
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 4 de Junho de 2007

Vagas Palavras - Quanto mais te dou com os pés com mais força agarras a minha mão.

Explica-me...

O que mais posso fazer para tu perceberes que não dá entre nós.

Eu não tenho o tempo necessário para criar uma relação estável contigo,que trabalho e no final do dia (cansado) ainda tenho de estudar para os exames da faculdade.

Não tenho o espaço nem a estabilidade que uma relação precisa para começar.

Aliás já te demostrei que para além de carinho não me vejo a sentir mais nada por ti, tb já te o disse...

Continuas a lutar por nós. Continuas a dar valor a cada momento que tenho para estar contigo. Continuas a acreditar que vale a pena esperar esse momento certo para nos envolver-mos.

Não entendo o que te fiz para gostares de mim e esperares durante um ano pela minha atenção. Aliás acho que ninguém merece essa espera. Envolvi-me contigo num momento de fraqueza, e agora não sei o que mais fazer para te explicar que entre nós as coisas não resultam, não iram resistir pelo simples facto que és biologicamente e mentalmente, um pouco mais nova. Não sei ser um 1ºamor neste momento. Não tenho nada para te dar que esse 1º amor necessite. Não tenho a capacidade de te amar, de te fazer feliz, de te dar aquela atenção que tu precisas.

Já amei, sofri, vivi e tenho uma maneira de ver a vida um pouco diferente, daquela como tu olhas para o mundo. Ainda hoje sofro por ter perdido uma pessoa, pelo facto de me ter transformado em outra coisa. Como queres que olhe para ti e que te venha a amar se nem eu próprio sinto que tenho essa capacidade.

Desculpa...

Tento fazer-te ver que nada tem a ver com outras raparigas, que te adoro como pessoa que és, que és uma pessoa espectacular. Mas que não tenho a motivação para estar numa relação em que sinto que não vai haver futuro.

Quanto mais te dou com os pés com mais força agarras a minha mão.

E não sei que mais hei-de fazer para te fazer entender, para não te fazer criar falsas esperanças e para não perderes a credibilidade no amor como tantas outras pessoas.

Desculpa por não saber afastar-te sem te magoar.

Desculpa por me adorares.

Desculpa pelo mal que te faço sem intensão, pela maneira que te faço ver que estarias melhor com outra pessoa. Desculpa por não ter a maldade de te mandar embora de uma vez por todas para que percebas que comigo não és feliz como pensas ser...

 

Lágrima Doce*

sinto-me: com medo de te magoar
música: quase tudo
publicado por CMS às 22:24
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds